Medindo Radiação nas Províncias Próximas à Usina Nuclear de Fukushima


Como toda esta conversa sobre a radiação emanando da planta nuclear de Fukushima, qual a verdade? Aproveitando a ida de Kanto as áreas atingidas, resolvemos medir a radiação durante o caminho. Os resultados estão aqui. Não espere nada com rigor científico; isto foi feito por curiosidade e resolvemos publicá-lo para aqueles igualmente curiosos.

Isto ocorreu no período de 13 a 17/Abr/2011. Foram medidos 24 pontos em 400 km e 6 províncias (Gunma, Tochigi, Fukushima, Miyagi e Iwate).

O percurso é o de alguém que vem de Kanto (ou abaixo) para ajudar as áreas afetadas: Tohoku Jidoshado e, a partir de Sendai, a costa marítima. Os pontos de medição podem ser vistos neste mapa.

Provincias Proximas a Usina Nuclear de Fukushima

Distância em Relação a Usina Nuclear de Fukushima

Distancia em Relacao a Usina Nuclear de Fukushima

Radiação Proveniente da Usina Nuclear de Fukushima

Radiacao proveniente da usina nuclear de Fukushima

Como se observa nos gráficos acima, há obviamente uma relação entre distância e radiação. Quanto mais próximo da usina, maior a radiação. Que outras conclusões podem ser tiradas do gráfico e dos dados?

  1. Pra começar, nada muito sério foi registrado, mesmo no pico (Nihonmatsu); é portanto seguro passar pela Tohoku Jidoshado. Muitos daqueles que pensam em prestar ajuda às áreas afetadas pensam em vir por Nigata e Yamagata, o que é desnecessário. Todos os ônibus expressos ligando Tokyo a Tohoku passam pela Tohoku Jidoshado e não há reclamação ou preocupação a respeito pelos passageiros.
  2. Fora do pico, Miyagi e Iwate mostram valores baixos e constantes, enquanto outros lugares com a mesma distância (sul de Fukushima, Tochigi) mostram valores mais altos. Muito provavelmente isto é efeito do vento soprando do norte para o sul. Nas áreas afetadas a radiação não é problema (ao menos por hora – isso pode mudar a qualquer momento já que o calor da primavera e verão são trazidos pelo vento do sul).
  3. O governo japonês não tem mentido à respeito – não naquilo que não se consegue esconder.
  4. Paradoxalmente a usina nuclear mais próxima do epicentro, a de Onagawa, permanece inteira e sem vazar radiação. A propósito, a destruição da cidade foi extensa (veja vídeo aqui). A de Futaba-gun, onde fica a de Fukushima, foi leve em comparação. Onagawa é uma das razões pelo qual se desconfia que a TEPCO mente ao dizer que os geradores de energia a diesel em Fukushima falharam (o motivo do pesadelo pelo qual passamos) dado ao tsunami, embora eu não tenha visto nada a respeito de como o tsunami atingiu a usina de Onagawa.
  5. Tome cuidado com o que você ouve na Internet! Muita coisa não faz nexo e é escrito por que não conhece geografia. A comecar pela Globo: “usina de Fukushima fica em Sendai” e que uma casa em Koriyama (pont H do mapa acima, 70 km da usina) “foi isolada devido ao vazamento de material radioativo da usina nuclear”.  Confirma a piada que jornalistas e blogueiros são ruins de Geografia, Matemática e Economia mas bons em Português e Fofoca.

 

Por Roberto Tongu, 19/Abr/2011
Este projeto foi bolado e executado (com ajuda parcial minha) por Hidekichi Hashimoto usando um contador geiger Radex RD1503 de origem francesa
.


Clique aqui p/ deixar um comentário 2 comentários